Blog Archives

Reinaldo Ribeiro

Um Homem Inesquecível

1
14 Junho, 2017

Ao Alípio de Freitas Falar de Alípio de Freitas, um paladino da simplicidade e de quem há tanto para dizer, torna-se, para mim, uma tarefa extremamente difícil e, forçosamente, incompleta. Na história da humanidade têm surgido, de tempos a tempos, homens e mulheres que se notabilizaram pelos seus feitos, sejam eles no campo da cultura, […]


Os Excluídos

1
8 Junho, 2017

A rua, rectilínea e arborizada, estava vazia. Apenas se viam alguns automóveis estacionados em frente às vivendas cercadas de muros e gradeamentos que protegiam a intimidade dos seus abastados moradores. Um homem caminhava lentamente pelo passeio. Tocava a campainha em cada portão. Era logo recebido pelo ladrar enraivecido dos cães que guardavam as casas. Ele, […]


Caminho do Pôr-do-Sol

2
31 Maio, 2017

A CAMINHO DO PÔR-DO-SOL As poderosas trevas vencem a luz do dia e a noite miste­riosa instala-se vitoriosa. O luar, claríssimo e brando, surge do nada e enche a mata de sombras mornas. Desenha paisa­gens enfeitiçadas nas águas man­sas do rio que com elas levam os sonhos, as tristezas, e as ale­grias dos homens. As […]


Uma Lenda da Noite

1
26 Abril, 2017

Era uma vez uma noite de verão num país distante. No céu escuro cintilavam miríades de estrelas e podia ver-se a olho nu alguns planetas ilumina­dos pela sua luz, que a distância tornava escassa. Conta-se que, subitamente, o firmamento foi ilumi­nado por um clarão de enorme intensidade. Estranho fenó­meno, que nin­guém na altura soube explicar, […]


Trinta Anos Depois

0
19 Abril, 2017

  Era Abril e éramos jovens. Tão jovens que, apesar da longa noite, negra e tempestuosa, ainda sonhávamos, e muito! Esbanjávamos fraternidade, esperança, amor e sonhos. Estes, embora envergonhados e temerosos, lograram concre­tizar-se naquela aurora longínqua. Exigimos então, despreocupada e incautamente, tudo o que nos roubaram. Tínhamos essa ambição pois éramos sim­ples, mas também éramos […]


Quintal e Inverno

0
14 Abril, 2017

O QUINTAL E O PRENÚNCIO DO INVERNO O dia adormecia lentamente naquele fim de Outo­no. No céu, as nuvens levadas pela brisa ainda morna, amon­toavam-se em arquitecturas fantásticas, cada vez mais som­brias. Uma senhora, idosa, arrasta com dificuldade a cadeira para junto de uma janela. Senta-se e olha, sem ver, o mundo físico que a rodeia: o […]


Do Céu e do Inferno

0
8 Abril, 2017

Será amargo o travo da morte, e serão necessárias metá­fo­ras para o suavizar? Não me desagrada seguir o inevitável curso do destino só para descobrir se a maré lenta que conduz a vida humana desa­gua ou não na tão apregoada imortalidade. Mas eu não quero a imortalidade terrena. Quero viver esta vida intensamente, pois considero-a […]


AGENDA

Loading...