PORQUÊ OPÇÃO CDU

By  | 12 Setembro, 2013 | 4 Comments | Filed under: António Tomás, Notícias, OPINIÃO

Caros colegas, comerciantes, empresários e população:

Todos temos sido vítimas de políticas erradas, duplamente penalizadoras por efeito da TROIKA e de um bloqueio dos fundos de investimentos comunitários, «cerca de 115 milhões de euros» previstos no programa Polis.

Com este investimento aplicado nos sete planos de desenvolvimento económico e social na Costa da Caparica, que no final de 2013 deveriam estar em fase de acabamento, toda a imagem e qualidade de vida desta terra estariam mudadas e quase todos os problemas de carência social estariam resolvidos, a Costa, moderna com os seus 20 quilómetros de praias seria o cartão de  visita do nosso concelho. Sentimo-nos indignados e marginalizados relativamente a outras cidades que beneficiaram com avultados investimentos de fundos comunitários.

Para a Costa não há dinheiro nem para reposição das areias na praia, no entanto foi anunciado  alguns dias atrás a reposição de areias nas praias do Algarve! blá, blá, blá, mas a culpa  não é da crise.

Este será o real tema de debate, da agenda eleitoral que se aproxima.

Os responsáveis foram e são os governos dos últimos 10 anos: 1º PS=6 anos, 2º PSD-CDS, no total de 4 anos! Os mesmos que assinaram com a TROIKA a desgraça do pais e os mesmos que mais uma vez nos irão pedir votos.

Confirmados os fatos, a CDU merece o apoio dos Caparicanos para, em conjunto com a CMA-CDU lutar pelo prometido investimento no Polis e não no mega terminal de contentores na Trafaria que servirá para envenenar o meio ambiente e qualidade de vida de todos nós. Não se abstenha de votar no dia 29/9/13 nem de refletir no que irão fazer com o seu voto…

Fonte da informação: www.parqueexpo.pt/conteudo.aspx?caso=projeto…PolisCostaCidade da Costa da Caparica CostaPolis 2001 – 2011. … Gestão global da Intervenção por mandato da sociedade ViseuPolis, S.A. … Clientes, CostaPolis – Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis na Costa da Caparica, S.A. … O valor global de investimento desta intervenção foi de 115 milhões de euros.

4 Responses to PORQUÊ OPÇÃO CDU

  1. Rui Bastos Gonçalves 19 Setembro, 2013 at 9:21 AM

    Caros concidadãos, todos sabemos o que uns e outros fizeram ou não fizeram, não importa pois o que é dito em tempo de eleições.

    É verdade que a CMA, desde sempre nas mãos da CDU, embora por vezes com vereadores do PS, pouco ou nada fez pela Costa da Caparica. O seu desinteresse por esta freguesia, foi sempre por demais evidente e é provado pelos seus actos no dia-a-dia. Basta comparar as atitudes da CMA para com esta e as outras freguesias do concelho. Por isso o senhor João Paulo Costa tem toda a razão.

    Quanto ao PSD, desde sempre na Junta de Freguesia, limitou-se praticamente ao que se pode considerar actos de gestão corrente. Nunca houve uma estratégia bem definida para a Costa da Caparica (excepto as ideias lançadas em véspera de eleições e que depois rápidamente são esquecidas) e nunca se bateram verdadeiramente por ela. Desculpam-se com a CMA, mas na realidade também nunca os vi mobilizar a população para se manifestarem contra a evidente injustiça com que ela descrimina esta freguesia.

    O PS… nem é bom falar. Sempre ambicionaram a Junta e sempre fizeram o jogo da conquista do poder, em detrimento da terra que dizem defender. Enfrentar a CMA e exigir igualdade de tratamento, era uma tarefa que devia envolver todos na Costa da Caparica, mas nunca ouvimos o PS ou qualquer outro partido na oposição, mostrar-se disponível para se unirem neste propósito.
    Até hoje, para os partidos políticos representados na Assembleia de Freguesia, só tem contado a luta pelo poder. Tem sido um jogo em que só importa ganhar e em que o prémio é um lugar na Junta.

    Por isso o senhor António Tomás também tem a sua razão quando fala do “relógio da vergonha”.
    Este é em geral o jogo de todos partidos políticos com assento na Assembleia da República: a conquista do poder. Este é o jogo da partidocracia em que esta democracia se tornou.

    Mas este não é o jogo que precisamos, nem é o jogo que seguramente queremos. Eu penso assim.
    A Costa da Caparica que antes já foi um lugar de eleição para passar férias, junto com toda a Costa Azul e Tróia, ameaçando a hegemonia da Costa do Estoril, hoje simplesmente foi praticamente varrida do mapa das opções turísticas, sendo apenas e em geral notícia, sempre pela negativa.

    E isto aconteceu apenas porque os partidos políticos que representavam os cidadãos do concelho de Almada, se empenharam mais no jogo partidário do que no desenvolvimento do concelho, usando a Costa da Caparica como campo de batalha ou arma de arremesso.

    Só isto consegue explicar que a CMA, embora tendo um “poço de petróleo” no quintal, tenha preferido não o explorar, só para não ter de dividir o mérito com o jardineiro. E só não consegue ver isto, quem se deixou envolver por estes jogos políticos que levantam poeira e turvam a vista.

    Portanto, o que precisamos hoje para a Costa da Caparica é uma nova visão. Uma visão que agrupe os cidadãos de todo o concelho em torno do desenvolvimento da sua faixa litoral. A Costa da Caparica não é “praias de ALMADA. A Costa da Caparica é “Praia do Sol”, é “Praias da Costa da Caparica”, mas também património de todo o concelho.

    A Costa da Caparica não é apenas dos que vivem cá, ela é de todos os que a frequentam e dela fazem uso. Por isso todos neste concelho somos responsáveis pelo seu desenvolvimento e todos temos de nele ser envolvidos.

    Cavar trincheiras em Torno da Costa da Caparica e fazer guerra ao resto do concelho, é por isso um erro crasso.
    Por isso precisamos de uma nova visão, com ou sem os partidos, com novos ou velhos partidos.

    Precisamos de uma visão que não sirva as camisolas que cada um possa usar, mas que vá buscar o que cada um tem dentro de si: a vontade que a Costa da Caparica seja um lugar melhor para viver ou estar.

    Com o desenvolvimento da Costa da Caparica ganhamos todos, ganha todo o concelho.

    Com a continuação do jogo partidocrático, ganham apenas aqueles que têm interesse no acesso ao poder e na sua perpetuação para fins e interesses meramente pessoais.

    É imperioso substituir a visão e as atitudes egoístas por uma visão mais social e comunitária.

    Quem quiser quebrar este ciclo vicioso, tem o meu voto.

  2. João Paulo Costa 15 Setembro, 2013 at 7:52 AM

    Meus Caros

    Não é segredo para ninguém que a família Tomas é uma acérrima defensora da CDU, em especial da Maria Emília Neto de Sousa, daí que tentem colocar a “continuidade” do sistema implantado.
    Com o lema comunista, “distribuição equitativa da riqueza”, contribuem os que mais têm, e que trabalharam, para aqueles que nada têm, porque ou não conseguiram, ou não quiseram trabalhar.
    Mas não falam da forma em como os “comudistas” da CDU se abastecem de favores políticos, de isenções de estudos, e outras coisas, que só são facultadas à mesma “maltinha” que os elege.

    Não me puxem pela língua.

    Eles comem tudo e não deixam nada.

    João Paulo Costa

  3. Joao 12 Setembro, 2013 at 11:20 PM

    Esqueceu se de dizer que a CMA também tem cota parte de culpa da nao realização do programa polis nomeadamente na eleboraçao dos planos de pormenor cedendo terrenos que não lhe pertencem não ouvindo a população ou ja não se lembra da tentativa de criação de uma colónia de ferias do pc na quinta de Sto. António alias nessa altura a CDU governava em coligação com o PSD a junta de freguesia da Costa, habitação essa que iria ser construída imagine se lá por quem, a cooperativa Irmanadora pois é, e se bem me lembro já na altura a cooperativa era dirigida por quem? Pois é por 1 vogal da CDU que até hoje continua a dirigir a cooperativa e não esquecer que o dirigente também é candidato pela CDU a junta de freguesia, não me diga que não sabia! Ja deve ter ouvido falar em conflito de interesses, mas podemos analisar a obra feita pela CDU em 36 anos de CMA na Costa, 1 única obra o fecho da vala, mas é melhor não falarmos disso, ou já se esqueceu da cedência de terrenos a família dos Coutos das praias de são Joao ex proprietários da empresa que realizava grande parte das obras da CMA. Podemos falar também dos terrenos do campo da bola os quais a Camara foi mandatada pelo governo salvo erro em 1978 para realizar escrituras publicas aos moradores que nunca fez. Quanto aos contentores se a Camara nestes 36 anos não tivesse deixado ao abandono a trafaria e a cova do vapor e tivesse desenvolvido a freguesia agora não havia nenhum plano de construção de contentores, por isto e muito mais o Sr Tomás devia pensar melhor antes de se por a escrever a atacar os outros, porque o que não falta é culpa a CMA na gestão de todo o território do concelho. Com os melhores cumprimentos

    • António Tomás 16 Setembro, 2013 at 3:13 PM

      É FACIL DIZER MAL DA CMA-CDU
      MAS QUE O RELÓGIO DA VERGONHA NÃO CAIA NO ESQUECIMENTO.
      Falar do Costa Polis é não esquecer o relógio de contagem do tempo de duração das obras inaugurado em 2001 (na Retunda junto ao Barbas) pelo PS-Sócrates, esse relógio eletrónico não perdoou, esgotou o tempo, apodreceu sem as obras começarem: os partidos PS,PSD-CDS, politicamente responsáveis pelo desvio do investimento para outras cidades, estando já aprovado para a costa, devem falar verdade, antes de pedir os votos aos Caparicano. É muito fácil culpar a CMA-CDU, que sempre teve a sua quota-parte do investimento no Polis disponível. Nota: a Sociedade Costa Polis sempre teve gestor/a PS, as poucas obras e mal acabadas também comprometem esse Partido. Pedem-se fotos desse relógio para não cair no esquecimento! A VERDADE SEMPRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


AGENDA

Loading...

CALENDÁRIO


Pin It on Pinterest