História dos Amigos do Buraco

By  | 18 de Abril, 2014 | 0 Comments | Filed under: Ana Marques, Notícias, OPINIÃO

Decorria o ano de 1997 quando se iniciaram as obras na Rua dos Pescadores que visavam renovar a rede de esgotos, eletricidade e pôr condutas de gás, que não existiam.

DSC00812-p

Antiga Casa dos Churros

Foi também elaborada um novo pavimento para a rua, antes em alcatrão e com passeios em calçada Portuguesa, o que a priori parecia uma ideia excelente, mas que quando finalizada provocou entre as gentes da Costa da Caparica muita polémica pois a nova cobertura primava pelo mau gosto.

Pretendeu-se que o desenho se parecesse com ondas, tudo feito com tiras de tijolo a duas cores, sendo no centro adicionadas luzes no chão, desde o seu inicio até junto à marginal rente à praia fazendo-a parecer uma pista para aterragem de aviões e que logo nos dias seguintes foram vandalizados. Perante essa situação, a solução encontrada pela Câmara foi a de encher os buracos desprovidos de vidro e de lâmpadas, com bocados de cimento atirados como por acaso.

Também rapidamente se constatou a impossibilidade de manter aquela artéria com um ar limpo, ficando em muito pouco tempo pejada de pastilhas elásticas atiradas para o chão por pequenas e grandes pessoas e que se colavam firmemente, ficando enegrecidas com o tempo e que passados tantos anos ainda são visíveis

É hoje uma rua desprovida de cor, com muitas tiras de tijolo partidas, formando pequenos buracos aqui e ali, que são mais uma vez reparados com colheradas de cimento sem que haja um mínimo de interesse a nível de  verdadeira restauração, tornando-a assim numa espécie de manta de retalhos desbotada.

Isto é uma introdução a uma história, que faço questão de vos contar por me parecer muito engraçada e que revela o bom humor das gentes desta terra, que sempre gostaram de mostrar o seu bom humor havendo verdadeiras histórias delirantes, de partidas que se faziam aos que para aqui vinham veranear e por esta ter tido repercussões entre as pessoas que dela fizeram parte.

Nessa altura a Rua dos Pescadores ainda era o local por onde desde sempre as pessoas faziam questão de subir e descer mostrando a todos os seus vestidos da última moda, assim  como os penteados e calçado, nos domingos, feriados e em dias de sol. Porém, devido às obras, via-se agora um local que parecia esventrado, como se, se tivessem formado trincheiras e todos se preparassem para uma guerra civil e fosse necessário defender a cidade.

DSC00815-p

Antiga Casa dos Churros

Os mais lesados eram os comerciantes que, para além de verem o seu negócio diminuir, porque as pessoas não tinham prazer nenhum em subir uma artéria sempre enlameada, com passadeiras de madeira, que atravessavam as valas diretas aos estabelecimentos e com mais tábuas de madeira aqui e ali, fazendo com que atravessá-la fosse um exercício tal como andar num arame suspenso no ar, tornado impossível para os comerciantes maioritariamente da restauração montar as suas famosas esplanadas

Claro que o descontentamento era geral, até porque o prazo da conclusão da mesma já se tinha esgotado e a paciência também

E num dia primaveril o Marques, dono de um restaurante típico chamado A Casa dos Churros, estava com alguns clientes e amigos á porta do seu estabelecimento, que tal como todos os outros tinha a tal passadeira de madeira. Só por graça o Marques adicionou á entrada um aviso de portagem. Os clientes, descontentes com o fato de não se poderem sentar cá fora numa mesa ao ar livre, em  alegre convívio, lembraram-se de atirar com uma das mesas para dentro da vala e a seguir à mesa foram atiradas cadeiras e num ápice, chegaram à conclusão que era ali mesmo que iriam passar a tarde, comendo e bebendo.

Foram cerca de 10 pessoas que desceram e se sentaram na dita vala, de tal forma profunda que lhes tapava a cabeça. A tarde foi decorrendo em alegre cavaqueira, regada a álcool e muitas gargalhadas, até cerca da meia-noite, quando, já tomada a decisão de fazer daquele dia um marco histórico a não esquecer, atribuíram a si mesmos o nome.. AMIGOS DO BURACO, prometendo que se reuniriam ali regularmente durante os anos vindouros.

Para melhor assinalar a criação do clube, pediram ao engenheiro da obra que lhes fornece-se uma placa de tijolo, onde constasse o nome de todos os intervenientes e que fosse colocada em frente á porta da Casa dos Churros, que hoje já não existe, infelizmente, assim como tantas outros sítios típicos desta cidade, tomada de assalto por lojas de chineses e indianos.

Porém, a placa de tijolo que assinala este acontecimento ainda se pode ver bem, colada no mesmo sitio, sendo que alguns nomes estão hoje já muito desvanecidos e difíceis de reconhecer…

 

About 

Designer Gráfico

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

AUDITÓRIO COSTA DA CAPARICA

  1. 27SepLancamento do livro 'Contos e Encantos da Caparica"
  2. 11OctTeatro - "Quero ir prá Ilha "
  3. 12OctConcerto do Jair Mozart
  4. 19OctJoão da Ilha
  5. 25OctFilipe Salgueiro
  6. 26OctFilipe Salgueiro
  7. 27OctFilipe Salgueiro
  8. 08NovJantar Anual da Gandaia
  9. 09NovCAPARICA JAZZ
  10. 15NovTeatro - "Volta a Portugal em Revista"
  11. 23NovTeatro Infantil
  12. 29NovFilipe Salgueiro
  13. 30NovFilipe Salgueiro
  14. 01DecFilipe Salgueiro
  15. 14DecConcerto Magano

GANDAIA CLUBE

  1. 28SepLançamento do livro "Memórias de uma Menina que se tornou Mulher" d

NOTÍCIAS NO EMAIL

Para receber no seu email o nosso BOLETIM SEMANAL Introduza aqui o seu endereço eletrónico...

Pin It on Pinterest