BE Visita Caparica

BEA coordenadora do BE Catarina Martins afirmou hoje que sete a oito mil pescadores portugueses não conseguem ir ao mar desde o princípio do ano e não têm recebido qualquer apoio financeiro do Fundo de Compensação Salarial.

“Nós calculamos que haja neste momento sete a oito mil pescadores que não conseguem ir ao mar, que não estão a ter rendimentos básicos para as suas famílias, e que têm direito a este fundo”, disse a deputada do BE durante um encontro com pescadores da Costa da Caparica, em Almada.

Depois de se reunir com alguns pescadores que se dedicam à pesca de arte xávega, na Costa da Caparica, Catarina Martins começou por lembrar que o estado do tempo tem impedido milhares de pescadores de todo o país de saírem para o mar e que, por isso, se viram privados de qualquer fonte de rendimento.

“Falámos com pescadores que, desde o princípio do ano até agora, só conseguiram ir oito dias ao mar. E é preciso que tenham acesso ao fundo rapidamente”, disse Catarina Martins, lembrando que, ao fim de cinco dias de impossibilidade de saírem para o mar, os pescadores já podem requerer esse apoio financeiro.

“[O Fundo de Compensação Salarial] é um fundo pago pelos próprios pescadores, com dinheiro de licenças, coimas, etc., e que tem de ser disponibilizado com toda a urgência, por todo o país”, reforçou a deputada bloquista, que também defendeu a necessidade de “linhas de crédito para os pescadores”.

Catarina Martins disse ainda que os cortes no Estado têm impedido a reposição de areias na Costa da Caparica nos últimos anos, afirmando-se convicta de que isso não iria resolver o problema, mas poderia atenuar bastante a destruição da zona costeira.

Leia o artigo original no Jornal “i” clicando aqui.

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest