Desinfetar o Futebol

O Cova da Piedade anunciou que vai impugnar a descida ao Campeonato de Portugal aprovada na terça-feira passada, 5 de maio, pela direção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP). Segundo a SAD, só a Assembleia Geral da LPFP tem essa competência.

Em todas as competições da Liga, não houve descidas, com a exceção da LigaPro, ou Liga II. O Cova da Piedade e o Casa Pia.

João Alves, o técnico do clube piedense deu uma entrevista ao jornal A Bola que transcrevemos com a devida vénia:

“João Alves, treinador do Cova da Piedade, não escondeu a indignação com a decisão das instâncias que regem o futebol português em dar como concluída a Liga 2, determinando a descida dos dois últimos classificados, neste caso o Cova e também o Casa Pia.

«É uma das maiores vergonhas do futebol português. Quem tomou a decisão ficará para sempre ligado a uma das mais negras e vergonhosas páginas do futebol em Portugal», refere o técnico em declarações à assessoria da SAD do clube, assumindo que impera o «sentimento de revolta» face a tal decisão:

– Não nos deixaram concluir o trabalho que iniciámos em janeiro e, agora, dão-nos esta facada pelas costas. Acho correto o Nacional e o Farense subirem. Mas onde é que está o demérito de quem desce?  Faltavam 10 jornadas para o final do campeonato, quase 1/3 dos jogos por disputar. E no Campeonato de Portugal faltavam 9 jornadas e ainda o play-off de subida. E os outros dois primeiros são menos primeiros que os dois que subiram? Dá a sensação que era imperioso para a FPF colocar duas equipas na Liga 2, fazendo descer, ao mesmo tempo, dois clubes que foram impedidos de terminar o campeonato. E porque é que no Campeonato de Portugal não há descidas? O critério é só para a Liga 2?

Depois das questões, mantém-se a certeza: «Esta decisão é uma vergonha e viola claramente os princípios e ética do desporto e da própria sociedade. Gostava de ver se o Porto B e Benfica B ocupassem os lugares de descida se a decisão teria sido a mesma.»

João Alves diz-se desmotivado para continuar o trabalho como treinador de futebol: «Isto é brincar com a vida dos profissionais desta modalidade. Ainda não acredito nisto, os dois únicos clubes penalizados em Portugal foram o Cova da Piedade e o Casa Pia. E depois, querem calar os clubes oferecendo uns míseros euros em troca do seu silêncio. É chantagem pura. Uma atitude inqualificável destas duas personagens.»

A rematar, deixa duras críticas aos líderes do futebol português: «Quero-lhes dizer que não é apenas necessário desinfetar a bola devido ao Covid-19. É preciso, de uma vez por todas, desinfetar o futebol português, sobretudo dos interesses instalados há muitos anos. Defendi muitas vezes o meu País, com a camisola da seleção, e o prémio que me deram, aos 67 anos, foi esta decisão vergonhosa que prejudica e arrasa literalmente com um clube e com dezenas de profissionais e respetivas famílias. Um autêntico escândalo, promovido por um prepotente e por um subserviente com o beneplácito da sua respetiva corte dos “yes-man”, os dois protagonistas que, em conjunto, “cozinharam” de forma absurda, patética e nojenta o destino de dois clubes, sem lhes dar a oportunidade de competir até ao fim e apunhalando-os pelas costas. Confirma-se que são os “donos disto tudo”.»

Fim de transcrição

Numa conferência de imprensa da SAD , onde estiveram também presentes o treinador, João Alves, e os capitães de equipa, Edinho e André Carvalhas, o diretor desportivo Edgar Rodrigues voltou a garantir que a SAD do clube da margem sul do Tejo irá “até às últimas consequências” e que a direção da LPFP “não tem competência jurídica” para tomar uma decisão que tem de ser decidida “em assembleia geral”.

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest