Poema ao Vento

Poemas que o vento leva

Não os passo para o papel

Do sonho e do silêncio

São levados pelo vento

Para as planícies do Sul.

São as vozes do meu lamento

As tristezas que me invadem

Nas tardes quentes de Verão.

Ainda consigo sonhar

Ainda tenho vida em mim

Ainda a sinto pulsar.

Quero repartir o meu corpo,

E as cinzas quando acabar,

Com os campos onde cresci.

António José Zuzarte, Costa da Caparica, Agosto de 2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest