Requalificar Cacilhas

Foi aprovada no passado dia 12 de outubro, em Reunião de Câmara, a adjudicação da empreitada de obra pública Cacilhas-Tejo – Visualização das Salgas Romanas e Qualificação do Circuito Turístico do Tejo. Um investimento no valor de 2,5 milhões de euros que deverá está concretizado até ao final do verão de 2021.

Esta requalificação urbana pretende introduzir uma nova lógica na organização da rede viária e de fluxos pedonais. O objetivo é contribuir para a utilização segura e cómoda dos transportes públicos, valorizar a fruição do rio Tejo e das paisagens panorâmicas, desde a baía do Seixal ao perfil recortado pelos casarios de Lisboa, potenciando a dinamização da economia local.

A intervenção abrange o Largo de Cacilhas e os espaços delimitados pelos edifícios particulares e os edifícios das estações terminais fluvial e de MST. Inclui ainda o primeiro troço da Av. Aliança Povo M.F.A., compreendido entre o Largo e a rotunda no final da Av. 25 de Abril.

O projeto de execução contempla a execução de novos pavimentos rodoviários e viários, novas ligações para as infraestruturas de iluminação pública, abastecimento de águas, combate a incêndios, drenagens pluviais e domésticas, equipamentos, mobiliário urbano, deslocalização do quiosque e das instalações sanitárias públicas e a redefinição de um novo paisagismo.

Além da reconfiguração da rotunda para se adaptar ao novo sentido de circulação, está prevista a modelação dos passeios e espaços de permanência com pendentes suaves e ligações entre planos, através de rampas muito discretas. Os revestimentos de passeios e espaços de permanência privilegiarão a acessibilidade para todos. Serão também otimizados os recursos no que diz respeito à iluminação pública, assim como aos materiais e ao equipamento previstos com vista à redução do desperdício.

Musealização das Salgas Romanas

A intervenção proposta prevê a musealização das Cetárias (tanques) Romanas, colocando a descoberto parte do núcleo arqueológico de Cetárias da Fábrica Romana de Salgas de Cacilhas, através da criação de dois poços que permitam a leitura (devidamente protegida) de dois conjuntos de cetárias existentes e da sua estrutura, e a sinalização das restantes cetárias existentes.

Construída e utilizada entre o século I a. C. e o século I d. C., esta fábrica romana destinava-se à salga de peixe junto ao estuário do rio Tejo. Descoberta em 1981, a Fábrica Romana das Salgas de Cacilhas foi classificada como Imóvel de Interesse Público em 1992.

Cerca de 2,5 milhões de euros é quanto será investido pelo município na a empreitada de obra pública Cacilhas-Tejo – Visualização das Salgas Romanas e Qualificação do Circuito Turístico do Tejo. A execução estará a cargo da empresa Extraco, Construccións e Proxectos, S.A. – Sucursal em Portugal e tem um prazo estimado de 300 dias.

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest