Somos Povo na Costa

By  | 9 Novembro, 2016 | 2 Comments | Filed under: Notícias

img_8909

É numa manhã de domingo, numa sala arrendada no Grupo de Amigos da Costa da Caparica, que nos encontramos com as mentoras do “Somos Povo”. Manuela dos Santos, mais conhecida por Nelinha, 60 anos, reformada desde os 47 por doença, e Débora Ferreira, 32 anos, auxiliar de educação, juntaram-se e formaram este grupo que pretende angariar bens alimentares, entre outros, e distribui-los pelas famílias carenciadas.

Embora o grupo tenha celebrado o seu 1º aniversário no passado dia 3 de Novembro, o envolvimento de ambas na ajuda humanitária começou bem antes disso. Por Nelinha ser conhecida de muitas pessoas na Costa da Caparica, começaram por se dirigir a ela para solicitar ajuda. Ela, por sua vez ia partilhando as necessidades que lhe iam sendo transmitidas com Débora, que se encontrava sempre disponível para contribuir com o que pudesse. Por se identificarem na forma de ser e estar, acabaram por formar o “Somos Povo”, a que dedicam todo o tempo que podem, e hoje em dia não fazem nada sem se consultar uma à outra. “Neste momento, o grupo é formado por mais três voluntários, a Cristina, a Fatinha e a Sónia Fontinha. Temos ainda um amigo, o Miranda, das Terras da Costa, que só não cozinha, de resto ajuda-nos imenso desde o início, e avisa as pessoas das saídas para a rua .”

img_9000O sair para a rua significa que duas vezes por mês se juntam no largo da Praça da Liberdade, e servem uma refeição, que as próprias confecionam, para os mais carenciados. “Aqui no jantares de rua, normalmente são sempre as mesmas famílias, cerca de 50 pessoas. Também vêm imensas famílias das Terras da Costa e levam a comida em caixas”. E às vezes até têm direito a um mimo sob a forma de doces caseiros. Quem as conhece também acaba por se envolver de certa forma. Débora exemplifica, “às vezes a patroa da minha mãe dá carne picada e nós fazemos a esparguete. Outra pessoa quer dar atum e salsichas para fazermos uma massa, que trazemos de casa”.

Existe ainda o contributo de certos parceiros locais, que Débora não se esquece de referir: “Desde que nós saímos para a rua, seja uma ou duas vezes por mês, a “Merendeira” cede-nos sempre 50 pães com chouriço e 50 sopas ainda a ferver. Nunca dizem que não!” Nelinha completa com outros exemplos, como a “Óptica Kapa Rica”, que também contribui, praticamente desde a formação do grupo, com 70€ mensais destinados às famílias, ou a Peixaria Praia do Sol, que oferece, a esta causa, peixe que traz da lota.

No entanto, pelo caminho já se fizeram sentir algumas desistências. Segundo Débora, abdicaram dos talhos porque “ao inicio íamos lá pedir ajuda mas sentíamos que nós é que tínhamos de estar sempre a pedir, eles não tinham iniciativa e então acabámos por desistir e passamos a comprar nós a carne.”

img_9031Apesar de reforçarem sempre o lado positivo desta iniciativa, têm noção que há sempre quem critique e aponte o dedo, com se diz aqui na terra “barco rema, algum interesse tem”. No entanto, isso passa-lhes ao lado. Para Nelinha, “os ditos ou não ditos a nós não importam, o que importa é o nosso trabalho. Dormimos de consciência tranquila, sempre pensando no dia de amanhã o que podemos fazer melhor, o resto ultrapassa-nos. Interessa ajudar quem precisa de nós, única e simplesmente”. Débora lembra que muitas vezes até “ajudam-nos mais as pessoas que não podem do que as que aparentemente tem mais possibilidade” .

Até à data, consideram o balanço positivo. Partilham tudo o que lhes é doado na página do grupo no Facebook, “não para nos enaltecer”, garante Nelinha “mas como forma de agradecimento por as pessoas confiarem em nós.” “Não somos uma associação, somos um grupo de voluntários, estamos a dar de nós sem nada em troca”. A tatuagem que tem no antebraço, “eu acredito”, vista deste prisma faz todo o sentido.

Para celebrar este 1º aniversário irá ser realizada uma festa de Natal e jantar, no dia 3 de Dezembro, no Grupo de Amigos da Costa da Caparica para os mais necessitados. Nelinha considera difícil calcular a afluência, porque para além dos que aparecem, existem ainda muitas pessoas que não querem mostrar que realmente precisam.

Embora o Somos Povo ajude algumas famílias de forma mais regular, estão sempre a aparecer pedidos de ajuda, muitas vezes até de amigos e conhecidos que as alertam para certas situações fora do concelho. E apesar de actuarem mais aqui na Costa da Caparica, ajudam qualquer pessoa que precise, desde medicamentos a fraldas, para dar alguns exemplos. Fazem ainda a partilha de bens doados, como roupa, com associações de Lisboa como a “Acredito”, e no último sábado de cada mês participam em ações com os sem abrigo, na Gare do Oriente, Estação de Santa Apolónia e Estação do Rossio, levando também comida confecionada em casa.

Quem quiser apoiar esta iniciativa, com o objectivo de melhorar a qualidade de vida dos que mais precisam, pode-se informar na página do Facebook ** Somos Povo ** , ou então dirigir-se à sua loja, no Grupo de Amigos da Costa da Caparica e entregar os bens em mão. Os mais necessários são, essencialmente, bens alimentares, mas toda a ajuda é bem vinda.

img_9007Por essa mesma razão, o Centro Comercial irá aproveitar a quadra natalícia para fazer angariação de alimentos para o grupo, e mesmo os próprios comerciantes irão doar o que entenderem. Também a Associação Gandaia e a Associação de Surf da Costa da Caparica doaram os lucros da bilheteira de um filme passado no auditório da Gandaia, para apoiar quem está no terreno a ajudar os mais necessitados.

Há sete anos a fazer intervenção na rua, com associações de Lisboa, Nelinha ainda tem um sonho por realizar, passar a noite de Natal na rua com os sem abrigo. Nunca o fez por causa da sua família, mas reconhece que às vezes o seu envolvimento nestas causas a leva a faltar a eventos familiares. A forte ligação com o mar, por ter perdido nele um irmão e por ser filha de pescadores, estão na origem do logótipo do grupo.

Nestas causas humanitárias existem sempre histórias que marcam os que a elas se dedicam, umas mais tristes, outras com um final mais colorido. E com a emoção à flor da pele, Nelinha e Débora partilham algumas, que nos deixam com a vontade de voltar a encontrá-las no 2º aniversário do Somos Povo, para saber de famílias que possam ter ficado um bocadinho menos necessitadas, por haver quem arregace as mangas e dê de coração.

About 

2 Responses to Somos Povo na Costa

  1. maria pedro 21 Novembro, 2018 at 4:05 PM

    São estas pessoas que valem os nossos parabéns por tudo o que fazem pelos outros sem pedir nada em troca obrigada Nelimha e restante equipa bjs

  2. MARIA PEDRO 21 Novembro, 2018 at 4:01 PM

    ESTE TRABALHO GRATUITO É FEITO COM AMOR E DEDICAÇÃO SEM NADA PEDIREM EM TROCA BEM HAJAM POR ISSO BJS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


CALENDÁRIO DO

AGENDA

Loading...

Subscreva aqui o Boletim do Notícias da Gandaia

Receba semanalmente no seu email um resumo das novas notícias publicadas no nosso jornal. Basta inserir o seu

Pin It on Pinterest