Carlos Querido no L.A.L.

A sessão do LAL – Livros, Autores e Leitores – deste mês de Junho, na terça feira dia 22, pelas 21:30 horas, é dedicada a Carlos Querido e retoma as sessões presenciais no Gandaia Clube, mas mantendo a sessão online na plataforma ZOOM para quem não puder estar presente…

Assim, para os que quiserem estar com o autor, por exemplo, para terem os seus livros personalizados com um autógrafo, o Gandaia Clube situa-se na Rua Vitorino José da Silva, 18, na Costa da Caparica.

Para os que preferem participar através do Zoom no conforto do lar, BASTA CLICAR AQUI ou copiar a morada https://us02web.zoom.us/j/88598196797 na janela de endereço do seu navegador.

Seja como for, vamos ter connosco o autor Carlos Querido para nos falar dos seus magníficos contos “Habeas Corpus” e “Insanus”. A editora Abysmo, simpaticamente oferece um bom desconto na aquisição de “Habeas Corpus”, do autor convidado. BASTA CLICAR AQUI e na compra, quando solicitado, inserir o código 62QFQH8V.

Neste “Habeas Corpus” há personagens que se rebelam contra o absolutismo biológico, enquanto outros se lhe rendem com a lúcida consciência de que nada sobra para qualquer eternidade. Vagueiam todos errantes nos trinta e três contos, entre os dois lados da noite, dos espelhos, da luz e das sombras: os que creem na imortalidade da alma individual e os que questionam a eternidade una, imutável, sem frações nem divisões, perante a qual toda a individualidade soçobra.

Um livro desafiante na linha dos grandes cultores do absurdo, que conta ainda com um apêndice fotográfico de Sal Nunkachov.

Os personagens dos contos de INSANUS são vultos furtivos que frequentam insones a noite, confundem-se com as sombras que os perseguem e ensurdecem vozes interiores de censura e de culpa. Os diálogos nunca chegam a sê-lo. Não passam de monólogos com ecos, ressonâncias que se refletem, se repetem e se perdem nas arestas cortantes dos labirintos onde cada um consome a sua existência.
Diz o velho ditado atribuído a um filósofo, que os que dançam são julgados insanos por aqueles que não podem escutar a música. O mesmo se passa com quem ouve vozes interiores inaudíveis para o resto do mundo.

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest