Contentores no Barreiro?

img_300x400$_49148As notícias têm andado ultimamente em torno da possibilidade do Porto de Contentores da Região de Lisboa – que anteriormente havia sido falado para se implantar na Trafaria – ser agora localizado no Barreiro.

O Presidente da Câmara Municipal do Barreiro já se pronunciou com simpatia por essa possibilidade (clique aqui para ler a peça da Rádio Renascença), um outro técnico, Paulo Piles Moreira, Mestre em Economia Portuguesa e Integração Internacional, ISCTE-Business-School e Doutorando em Sustentabilidade e Desenvolvimento, Universidade Aberta, escreveu um excelente artigo de análise sobre esta hipótese na Rostos.pt (clique aqui para ler), aliás, como já havia desenvolvido um trabalho de igual valor sobre a hipótese de localização na Trafaria e que o Notícias da Gandaia deu destaque (clique aqui para ler).

Como é sabido, o Notícias da Gandaia tem dado especial atenção a este tema, pela importância que este projeto tem para a nossa região. A nossa opção tem sido a de trazer à atenção dos nossos leitores todas as opiniões e estudos que permitam formar a opinião pessoal de quem nos lê.

Para quem segue estes desenvolvimentos já percebeu que a hipótese Trafaria parece ter cedido lugar, primeiro a Setúbal e agora ao Barreiro, aombos com interesse pelo empreendimento. No nosso caso, as autoridades autárquicas e a população em geral estão contra a possibilidade de implantação na Trafaria principalmente por questões ambientais e de impacto negativo no turismo. É bom não esquecer as questões das ligações ferroviárias, que planeavam destruir parte da arriba fóssil, além de não parecer viável a ligaçãoà margem norte. Claro que ninguém falou na construção deum túnel…

No entanto, a verdade em que os especialistas parecem estar de acordo é que em termos de condições portuárias naturais, a Trafaria é realmente a hipótese que oferece melhores condições. Não parece muito evidente a solução Barreiro poder compatibilizar as profundidades exigidas pelos navios de grande porte. O mesmo acontecendo em relação ao Porto de Setúbal. Por outro lado, estas duas opções oferecem o espaço e as ligações ferroviárias que a Trafaria não tem.

Como diria o nosso amigo Henrique Nabais, profissional do ramo, “tudo se constrói”. O problema é que muitas vezes também se destrói…

Tudo isto para dizer que provavelmente ainda se irá ouvir falar da hipótese Trafaria…

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest