Cova da Piedade acusa FPF de não defender clubes

O Cova da Piedade acusou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de não defender os clubes fundadores e de abrir um precedente com o seu «silêncio absurdo» no diferendo que o clube mantém com a SAD.

Em nota de esclarecimento aos sócios, os piedenses acusam a FPF de não dar qualquer resposta, ao clube ou à Associação de Futebol de Setúbal (AFS), relativamente à permissão dada à SAD para se “deslocar do seu distrito e participar na Liga 3 sem assumir as suas dívidas” para com o clube fundador.

O Cova da Piedade SAD disputa, atualmente, os jogos da Liga 3, competição da responsabilidade da FPF, no Estádio das Seixas, na Malveira da Serra, a mais de 40 quilómetros do Estádio Municipal José Martins Vieira, em Almada.

“O silêncio absurdo e inqualificável da FPF demonstra bem que os interesses de marketing e de imagem das suas provas se sobrepõem à defesa dos clubes fundadores. Onde está a defesa do estatuto do clube fundador?”, questiona a direção do clube da margem sul do Tejo, liderada por Paulo Veiga.

Dessa forma, entendem os piedenses, a FPF “permitiu abrir um novo precedente” que, a título de “exemplo ficcional”, permitirá a “uma qualquer SAD em Trás-os-Montes deixar de pagar as suas dívidas e compromissos assumidos” e “mudar-se para o Algarve”.

“Fácil! Só temos de defender os valores da imagem da competição sénior e ignorar as associações e os clubes”, ironizam os piedenses.

Além disso, o Cova da Piedade, entidade formadora certificada com quatro estrelas pela própria FPF, diz-se “completamente marginalizado quando as verbas da UEFA para o futebol jovem são entregues diretamente a quem participa nas provas” de futebol sénior, ou seja, à SAD, “segundo parecer jurídico da FPF”, ignorando o acordo assinado entre o clube e a SAD, onde se estipula que “as verbas devem ser entregues ao clube”.

“Esperemos que a FPF não assuma mais uma incongruência no que à certificação diz respeito, porque a SAD não tem escalões de futebol jovem, pois esse é do domínio do clube fundador. A menos que se permita que num qualquer mercado ou feira possam comprar equipas de formação de um qualquer clube, como se vai ouvindo nos corredores”, apelam os piedenses.

Por fim, o Cova da Piedade lembra que “nada impedia a SAD de seguir o seu caminho, deixando de usar as cores e o emblema” do clube da margem sul, e pede que “façam um favor ao Desportivo [Cova da Piedade]: Devolvam-nos a nossa equipa sénior e júnior e voltem à área de negócio de onde vieram”.

A nota publicada pela direção do clube refere, por fim, que após as várias tentativas de esclarecimento junto da SAD e da FPF, sem resposta, “não resta alternativa” além da convocação de uma Assembleia Geral para que os sócios decidam “o caminho a tomar em defesa da Cova da Piedade perante uma SAD incumpridora”.

O Cova da Piedade foi este ano despromovido administrativamente à Liga 3 de futebol, após irregularidades na inscrição da sociedade desportiva no campeonato da II Liga.

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest