Marreta, o novo herói nacional

marreta3O Marreta – o touro de 500 kg e um corno só – é o novo herói nacional. Revoltou-se em Viana do Castelo, onde causou o maior dos reboliços, capturado e transportado, voltou a fugir e anda, sabe-se lá onde, pela região de Aveiro, de onde chegaram ontem as últimas notícias da complexa operação de captura: Encontrou-se bosta e pelos do animal.

É assim, mais ou menos, uma versão do Zé do Telhado: revolta, escape inexplicável às autoridades, mesmo neste Portugal que imaginamos sem selva. Porém, um touro de 500 toneladas (e um corno só) passa despercebido e ninguém o consegue apanhar. A não ser bosta e pelo, claro.

O governo caíu e renasceu irreversivelmente? Cavaco falou? perdemos milhares de milhões nas bolsas e nos fantásticos mercados de juros? Ora, ora. Há 80 (ou centena e meia) de pessoas com alergias inexpicáveis e praias que estão abertas, ou quase, mas não se pode tomar banho, ou pode mas não convém, e ninguém ainda explicou assim bem explicadinho o que se está a passar e devolver a paz ao verão, e lá se perdem mais umas pipas de massa de comerciantes, que interessa? Nada! Há sempre uns quantos, sempre os mesmos de sempre, que passam imunes a tudo.

Ora, eis senão quando – ta-ta-taraaa – surge esse grande herói (500 kg) – que luta contra tudo e todos (apesar do corno só) e ninguém o apanha. Grande Marreta! Diz-nos ele que tudo é possível, que nem tudo é como se julga e que por vezes, é o espírito indomável e inconformado que prevalece e assim de repente faz a tourada ao contrário e nos diz que não, há muitos possíveis dentro dos impossíveis tão supostamente bem comportados.

Viva o Marreta!

Cidadãos sensibilizados por 500 kg de liberdade e ainda mais força de vida criaram já a página Touros em Fuga – ajude clicando aqui – numa tentativa, parece que conseguida, de garantir ao Marreta uma vida isenta de matadouros e matadores, para não o encontrarmos num talho perto de nós. Merece muito mais. A Gandaia apoia. Não tivessemos nós receio do corno que ainda lá está e convidariamos o Marreta para vir ao Auditório Costa da Caparica, para que todos o conhecessem e vissem com olhos e mãos, pois é coisa que devia ser cultural, a indomável criatura.

Longa vida ao Marreta e não se esqueçam, nem sequer precisou dos dois tradicionais apêndices corniculares, não sei se já vos tinha dito, só precisou de força de vontade, assim, uns 500 Kg dela.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest