Meditações…

« Haveria também um vazio, um tempo sem memória e de momento impossível de preencher com alguma coisa… » Juan Marsé.

Há momentos na nossa vida que só nos assaltam a mente os dramas mais dolorosos e as injustiças que acontecem no Mundo. Um mundo grande, enorme quando eramos pequenos, e mesmo já crescidos, sem o acesso directo e instantâneo, ao que acontecia lá longe… que muitas vezes, mesmo passado algum tempo, os órgãos de informação não noticiavam, fruto da feroz censura que existia nesse tempo… prática comum em governos de ditadura, tanto de direita como de esquerda. Nos dias de hoje o Mundo já nos parece mais pequeno devido à forma como a informação e os acontecimentos circulam, e entram “in loco” em nossa casa ou aparecem nos jornais do dia seguinte… felizmente com menos cortes do que no passado… há no entanto noticias que alguns procuram ocultar ou dar menos realce… Não é censura de Estado, mas do poder económico que manda no Planeta… Tudo o que aos  “Senhores do Mundo” não interesse resolver ou não lhes traga lucros, imediatos ou a curto ou longo prazo, é escondido do cidadão comum.

Numa tarde deste Verão incaracterístico que estamos atravessando, a minha sensibilidade ressentiu-se e passei para o papel o que me ia na alma…

I Love Planet… Esta Terra onde nasci / Esta Terra onde cresci / Esta Terra onde me fiz homem / Este Planeta onde vivi / Este Planeta que eu amo / Está doente, muito doente… / Com as suas águas poluídas / Com as suas florestas destruídas / Com os seus Homens distraídos / Com um pensamento primeiro: / Dinheiro, dinheiro, só dinheiro… / A morte arrasta consigo / Os que não podem lutar / Os que a fome consome / Os que se matam na guerra / Os que não sabem ser irmãos… / Irmãos, mas irmãos bons / Irmãos com os corações abertos / Irmãos com a mão na mão / Irmãos sem raiva nem rancor / Irmãos que partilham amor e pão… / É nesta Terra, neste Planeta / Que eu amo, amo, amo / Que não quero ver morrer sem razão… /Acabem  com a guerra, com a suja guerra / Acabem com a fome e a destruição / Abram os braços em cruz / Abram as mãos e o coração / E peçam Paz e Perdão / E me matem se não tenho razão…

António José Zuzarte, Costa da Caparica, 23 de Junho de 2014.

One thought on “Meditações…

  • 10 de Junho, 2021 at 19:42
    Permalink

    Meu amigo, muita boa reflexão sobre estes tempos conturbados em que vivemos.

    Abraços

    Reinaldo

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest