26º Sementes

O Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público arranca já nesta sexta-feira, 21 de Maio às 20h30 em Almada, no Museu de Almada – Casa da Cidade, com o espetáculo “Street Band Parade” do grupo Almada Street Band e “Consonância” da companhia S.A. Marionetas.

De 21 de Maio a 6 de Junho, o Teatro Extremo realiza a 26ª edição de “Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público”, a qual conta, como habitualmente, com uma programação para toda a família, contemplando a comemoração do Dia Mundial da Criança, 1 de Junho, em equipamentos e espaços públicos do concelho de Almada, Loures, Moita, Montemor-o-Novo, Odivelas, Seixal e Sesimbra.

Será uma programação diversificada, com espetáculos de teatro, música, dança, circo, palhaços, ópera, marionetas, sombras digitais, jogos interativos, cinema de animação e ilustração ao vivo, num total de 53 atividades, 16 espetáculos de 16 companhias oriundas de Portugal, Espanha, Itália e Bélgica. De destacar os dois espectáculos recentemente premiados “A Fábula do Esquilo” da Companyia de Comediants La Baldufa (Espanha) com o prémio nacional de artes cénicas para a infância e juventude (2020) que será apresentado já no dia 23 de maio às 11h e 16h no Teatro Municipal Joaquim Benite e “As viagens de Bowa” da companhia La Gata Japonesa (Espanha)  Prémio Território Violeta, Circada 2020, Prémio Kandeng Arts, Circada 2020, Prémio Cucha de Outoño, Circada 2020, Prémio do Público, Festival Mujeres Com Narices 2021 que poderá ser visto no dia 28 de maio em Almada e 29 de maio em Sesimbra.

Nesta 26ª edição do Sementes, estabelecemos com a CMA uma parceria para a comemoração do Dia Internacional dos Museus, contribuindo para a sua programação cultural durante o primeiro fim-de-semana do festival, levando as artes cénicas ao património museológico da cidade. Fazem parte desta programação conjunta os dois espetáculos de abertura desta 26ª edição de Sementes no Museu de Almada – Casa da Cidade e o espetáculo programado para a Fonte da Pipa, Olho de Boi, em Cacilhas, junto ao Museu Naval, no dia 23 de maio.

Até 6 de Junho espetáculos de teatro, dança, música, circo, marionetas, artes de rua e artes plásticas. Toda a programação em https://www.teatroextremo.com/sementes-programacao/

22 de maio a 6 de junho – Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

sábados e domingos hora e meia antes e uma hora depois dos espectáculos (grupos escolares mediante marcação aos dias de semana)

Exposição “As Fabulásticas” Exposição de trabalhos de expressão plástica realizados por alunos do ensino básico da Escola Secundária Anselmo de Andrade

Os autores Os trabalhos que integram a exposição As Fabulásticas resultam de um conjunto de atividades desenvolvidas no âmbito do Clube de Artes da Escola Anselmo de Andrade no período pré-pandemia, até 13 de Março de 2020. Este Clube foi frequentado por alunos de diferentes níveis de ensino, desde o 6.º até ao 9.º ano de escolaridade. A exposição As Fabulásticas, resulta de uma parceria entre o Clube de Artes da Escola Anselmo de Andrade e o Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público. 

A exposição Para As Fabulásticas, a proposta de trabalho consistiu na elaboração de ilustrações que tivessem por base a leitura e, eventualmente, a criação de histórias cujos protagonistas fossem os animais. Apostou-se na capacidade de interpretação gráfica através da exploração de diferentes técnicas e materiais de expressão plástica em suportes bidimensionais de média e grande dimensão. Pretendeu-se estimular o gosto pela leitura e a capacidade interpretativa dos participantes.  A criação de personagens e a ilustração de situações que tenham como ponto de partida o texto escrito são atividades enriquecedoras do imaginário individual e coletivo. A pandemia interrompeu abruptamente as atividades do Clube de Artes mas o trabalho realizado não desapareceu.

21 de maio, sexta – 20h30 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

28 de maio, sexta – 20h30 – Fortaleza de Santiago, Sesimbra

AlmaDa Street Band (Almada, Portugal) – Street Band Parade

Música – p/ todos; Duração: 45 min.

A companhia AlmaDa Street Band é um grupo de animação musical, inspirado nas bandas de universidades e liceus americanos, conhecidas como “Pep Bands” e com repertório ligeiro e variado, com influências de funk, raggae e pop. Criado em 2015 e único do género em Almada.

O espectáculo Espectáculo de animação musical, divertido, composto por uma banda de sopros e percussão, com um repertório ligeiro e variado com influências do funk, reggae e pop, para pôr toda a família a dançar.

Ficha artística Tuba e sousafone: Bruno Mil; Trombone: Alexandre Pita; Sax barítono: David Figueiredo; Sax tenor: Mário Santos; Sax alto: João Neves e César Melo; Sax soprano: Filipe Mendes; Clarinete: Filipa Cerdeira; Percussão: Tânia Mendes e Guilherme Martins; Guitarra: Tiago Andrade; Teclas: João Malha; Voz: Sofia Fonseca

21 de maio, sexta – 21h00 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

22 de maio, sábado – 16h30 – Cine-Teatro de Loures, Loures

S.A. Marionetas (Alcobaça, Portugal) – Consonância

Piano e robertos – m/4; Duração: 60 min.

A companhia S.A.Marionetas – Teatro & Bonecos, é uma estrutura profissional de criação em teatro de marionetas composta por autores, construtores e marionetistas que produzem originais em português, com o objetivo de promover e divulgar o Teatro de Marionetas. Nessa perspetiva, o seu trabalho passa pela investigação e a procura de novas soluções estéticas, bem como a preservação da tradição popular portuguesa através da pesquisa e continuidade na realização do Teatro D. Roberto. Em ambos os casos, privilegia-se a itinerância dos espetáculos como melhor forma de divulgar a arte da marioneta.

O espectáculo É um projeto que junta duas artes que tem em comum o domínio pelo improviso e a consonância pelo movimento livre na musicalidade e na teatralidade. José Gil, marionetista da companhia S.A.Marionetas e executante deste teatro com origem no século dezoito, junta-se ao pianista Daniel Bernardes para uma aventura de sons, movimentos e emoções, criando uma realidade por vezes abstrata num paralelo teatral tradicional com sons de modernidade. Dois executantes dos seus saberes num jogo improvável entre um piano e o Teatro Dom Roberto.

Ficha Artística Bonecreiro: José Gil; Pianista: Daniel Bernardes; Construção de marionetas e adereços: José Gil; Costureira: Maria Luísa Gil; Fotografia: Joaquim Pesqueira; Produção: S.A.Marionetas – Teatro & Bonecos

22 de maio, sábado às 11h00 e às 16h00 – Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

5 de junho, sábado – 16h30 – Cento Cultural da Malaposta, Odivelas

6 de junho, domingo  – 11h00 – Centro Cultural da Malaposta, Odivelas

Formiga Atómica (Lisboa, Portugal) – A Caminhada dos Elefantes

Teatro – m/6 ; Duração: 50min.

A companhia A Formiga Atómica é uma companhia de teatro, fundada e dirigida por Miguel Fragata e Inês Barahona. As suas criações inscrevem-se em questões contemporâneas e destinam-se a todo o público. Os espectáculos da Formiga Atómica são habitualmente antecedidos por períodos de pesquisa motivados pela questão e/ou públicos que abordam. Entre as suas criações destacam-se “A Caminhada dos Elefantes” (2013), “The Wall” (2015), “A Visita Escocesa” (2016),“Do Bosque para o Mundo” (2016) e “Montanha-Russa” (2018).

A companhia circula regularmente pelo território português, mas também francês e belga, tendo concebido versões francesas de dois dos seus espectáculos, “La Marche des Eléphants” (2016) e “Au-Delàde la Forêt, Le Monde” (2017, espectáculo de abertura Festival de Avignon 2018).

O espectáculo Este espetáculo conta a história de um homem e de uma manada de elefantes. Quando o homem morre, os elefantes fazem uma caminhada misteriosa a sua casa, para lhe prestar uma última homenagem: não era um homem qualquer, era um deles. “A Caminhada dos Elefantes” é sobre a existência, a vida e a morte, e o caminho que todos temos de fazer, um dia, para nos despedirmos de alguém. Um espetáculo que reflete sobre o fim, que é um mistério para todos nós, crianças ou adultos. “A Caminhada dos Elefantes” foi antecedido por um extenso trabalho de pesquisa junto de cerca de 200 crianças com idades entre os 6 e os 10 anos, através da realização de encontros e oficinas. O material recolhido serviu de inspiração e conteúdo para o espetáculo.

Ficha artística Encenação: Miguel Fragata; Texto: Inês Barahona; Interpretação: Miguel Fragata; Cenografia e figurinos: Maria João Castelo; Música: Fernando Mota; Luz: José Álvaro Correia; Direção técnica: Pedro Machado; Produção: Ana Lobato e Luna Rebelo / Formiga Atómica; Coprodução: Formiga Atómica, Artemrede – Teatros Associados, Centro Cultural Vila Flor, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Viriato; Projeto financiado por: República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes

22 de maio, sábado – 11h00 – Rua Adriano Correia de Oliveira, Laranjeiro, Almada

22 de maio, sábado – 18h00 – Praça da República, Moita

23 de maio, domingo – 11h00 – Jardim Almeida Garrett, Portela de Sacavém, Loures

23 de maio, domingo – 17h30 – Fonte da Pipa, junto Museu Naval, Olho de Boi, Cacilhas, Almada

Compañia Anna Confetti (Girona, Espanha) – A la Fresca 

Teatro de rua – para todos ; Duração: 50 min. 

A companhia A Companhia Anna Confetti provoca sorrisos há mais de 35 anos com os seus espectáculos de teatro de rua. Espetáculos cómicos e poéticos para todos os públicos, expressando-se com a linguagem do palhaço, do circo e da música. 

O espetáculo Três personagens e uma cadeira gigante saem à rua, provocando a confusão e diferentes situações cómicas. Mostre-se inspirado nas suas ações do dia a dia. Espectáculo visual e com poucas palavras. 

Ficha artística Idéia e produção:  Anna Confetti; Direcção: Pep Vila; Interpretação:  Anna Confetti, Rosita Calvi. Tere Solà; Cenografia: Pep Aymeric, Miquel Ollé; Figurinos:  Anna Alavedra 

23 de maio, domingo – 11h00 e 16h00 – Teatro Municipal Joaquim Benite, Almada

Companyia de Comediants La Baldufa (Lérida, Espanha) – A fábula do Esquilo

multidisciplinar – m/3 ; duração: 50 min.

A companhia A La Baldufa nasceu em Lleida em 1996.  Os seus principais objetivos são oferecer espetáculos de alta qualidade artística; criar espetáculos multidisciplinares, utilizando o máximo de recursos teatrais; oferecer espectáculos para todos os públicos, mas principalmente para crianças, e criar espectáculos ideologicamente comprometidos com os valores de solidariedade, tolerância e respeito.  Em 2020 La Baldufa recebeu o Prêmio Nacional de Artes Cênicas para Crianças e Jovens.

O espectáculo O grande ouriço vive em paz, à sombra de um grande carvalho, e cuida dos seus, enquanto desfruta de seu pedacinho do mundo. Mas um dia, essa paz será perturbada, pela chegada de um esquilo simpático, travesso e brincalhão. Sua coexistência não será fácil. Descobriremos um ouriço mal-humorado e protetor e um esquilo ansioso para conhecer e compartilhar.Uma das caraterísticas das fábulas é que terminam sempre com uma conclusão moral. Portanto, o que A Fábula do Esquilo nos diz? Com este espetáculo, La Baldufa propõe-nos pensar, refletir e mergulhar na diferença e na miscigenação. O ouriço e o esquilo são muito diferentes, mas têm oportunidades infinitas de aprender e compartilhar juntos.

Ficha artística Autoria: Jokin Oregi & La Baldufa: Enric Blasi, Emiliano Pardo, Carles Pijuan; Encenação: Jokin Oregi; Música: Óscar Roig; Desenho de luz: Miki Arbizu; Cenografia: Carles Pijuan; Figurinos: Rosa Solé; Construção da cenografía: Juan Manuel Recio, Ferran López, Xevi Planas, Olga Cuito, Carles Pijuan; Elenco: Ouriço: Carles Pijuan ou Ferran López; Esquilo: Emiliano Pardo ou Enric Blasi; Músico: Pau Elias Técnico: Miki Arbizu; Produção: Enric Blasi, Emiliano Pardo, Amàlia Atmetlló, Maria Capell; Co-produção: Festi’Mômes Questembert Communauté LEADER France; Com o apoio de: Generalitat de Catalunya – Departament de Cultura – ICEC, Gobierno de España – Ministerio de Cultura y Deporte – INAEM, Institut Ramon Llull, Fira Mediterrània de Manresa

28 de maio, sexta – 20h30 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

29 de maio, sábado – 17h30 – Parque Augusto Pólvora, Sesimbra

La Gata Japonesa (Espanha) – Los Viajes de Bowa

Magia, equilíbrios, acrobacias aéreas, humor e poesia: p/ todos ; Duração: 50 min.

A companhia ELena Vives, autora e intérprete, é Doutora em Atividade Física e Ciências do Desporto (UAH, Madrid) e Mestre em Artes Cénicas (URJC, Madrid).Inicia o seu percurso no circo em 2005 de forma autodidata, completando a sua formação com vários professores como Vasily Protsenko (Carampa, Madrid), Adil Rida (Ècole Leotard, Montreal), Jonathan Fortin (Londres e Barcelona), Michael Lanphear (Cirque Èloize e Cirque du Soleil, Montreal) e Nadia Richter (Cirque Èloize, Montreal).Em 2007 forma uma dupla artística com Diego García Molino, e passa por várias companhias como Cirque Eloize (Montreal), Recirquel (Budapeste), Wintergarten Varieté (Berlim), Roncalli’s Apollo Variette (Düsseldorf), Vaudeville Variety Revue (Berlim), Yllana (Madrid), Circo Price Christmas (2015-16 e 2018-19, Madrid) e The Hole (Espanha).Em 2018 eles ganharam o Prêmio do Público e o Prêmio Roncalli Circus no festival Newcomershow em Leipzig e em 2020 recebem o Mandrakes d’Or em Paris com o seu número “Memórias”.Em 2017 fundou a companhia “La Gata Japonesa” juntamente com três outros artistas, estreando em 2018 “Lumières Foraines”, dirigido por Leandre Ribera e em 2020 a obra individual, “Los Viajes de Bowa”, sob a direção de Lucas Escobedo.

O espectáculo Uma viajante guiada por uma obsessão: descobrir o que está por trás das mensagens encerradas em garrafas atiradas ao mar. Um novo lugar para enterrar suas raízes e decolar.Magia, equilíbrios, acrobacias aéreas, humor e poesia serão os companheiros de Bowa nesta jornada.

Ficha artística Autoria e Interpretação: Elena Vives Espejo-Saavedra; Encenação: Lucas Escobedo; Música original: Proyecto Voltaire; Desenho de Luz: Carlos Cremades Mendi; Cenografoia e Figurinos: La Gatera

PRÉMIOS:

Prémio Território Violeta, Circada 2020

Prémio Kandeng Arts, Circada 2020

Prémio Cucha de Outoño, Circada 2020

Prémio do Público, Festival Mujeres Com Narices 2021

29 de maio, sábado – 11h00 e 16h00 – Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

Companhia Certa (Póvoa do Varzim) – Bichos

Teatro: m/6 ; Duração: 60 min.

A companhia A Companhia Certa é um braço da Varazim Teatro, Associação Cultural com trabalho em torno da cultura teatral desde 1997, sediada na Póvoa de Varzim.

Todo o percurso que culmina com a criação da Companhia Certa levou à sedimentação de uma identidade própria, reconhecida pelo público e pelos seus pares. Esta identidade assenta na criação de espetáculos de recursos técnicos minimalistas com temáticas de grande intervenção social e pesquisa de novas formas de relação do espetáculo com o público. Tem também no seu repertório obras de consagrados autores portugueses num trabalho dedicado ao público infanto juvenil.

O espectáculo Pela efeméride dos 25 anos do desaparecimento de Miguel Torga a Companhia Certa estreia o espetáculo Bichos. Diferentes entre si nas suas particularidades, estes “bichos”, animais e humanos, estão todos na mesma “Arca de Noé”, a terra mãe, irmanados numa luta igual pela vida e pela liberdade. VICENTE – ÁGUA Com Vicente inventamos esta simbólica união de opostos terra e água. Uma estória casa com a outra, inventam pontos de ligação, estratégias de comunhão. “O CORVO leva a Mithra, da parte do sol, a ordem de matar o touro e ele, com pesar, executava a ordem recebida.” MIURA –TERRA A bela escrita telúrica de Torga convida-nos a meditar sobre a terra, os bichos e o sangue que nos envolverá de espanto. Na terra inventamos o universo teatral do conto Miura.

Ficha artística

Encenação e dramaturgia: José Caldas; Interpretação: Ana Lídia Pereira, Eduardo Faria, Joana Luna, Paulo Lemos e Sara Maia; Criação e interpretação musical (ao vivo): Paulo Lemos; Cenografia: José Caldas; Figurinos: Joana Soares e José Caldas; Apoio coreográfico: António Carvalho;Construção adereços: Artur Rangel (Quinta Parede); Desenho de luz: José Caldas e José Raposo; Confeção figurinos: Adélia Agra; Confeção adereços: Sameiro Fernandes; Produção executiva: Joana de  Sousa; Fotografia: José Carlos Marques

30 de maio, domingo – 11h00 – Museu de Cerâmica de Sacavém, Sacavém, Loures

30 de maio, domingo – 16h00 – Quinta da Fidalga, Seixal

Compañia ES Circ (Madrid, Espanha) – IN 

Palhaço gestual e malabares cómicos p/ todos ; Duração: 45 min. 

A companhia Depois de sua formação na Argentina, Espanha e França, Emiliano Alessi criou a sua própria companhia em 2011 em Barcelona, onde cria as suas primeiras criações de rua, produzindo cinco espetáculos diferentes sempre apoiados no gesto, no circo e no movimento corporal como um comunicador universal. Além de criar os seus próprios espectáculos, Emiliano dirige também criações de sala e tendas em Espanha, Suíça, Japão, Argentina e Itália. Atualmente instalado em Madrid, onde prepara já uma nova criação com estreia agendada para 2022, “Bueyes Perdidos“. 

O espectáculo “Tenho a impressão de ser livre apenas quando giro aquela pequena chave. Só nesse momento sinto que não sou eu que tranco, mas os outros”. IN, um espectáculo para todos os públicos que construído a partir da ideia de estar dentro ou fora, o que vai depender de si. Palhaço gestual e malabarismo cómico, com mais de seiscentas representações em todo o mundo, da Argentina ao Japão. Com distintos prémios em Espanha, França e Portugal. Um espectáculo fresco e espontâneo, com a participação subtil do público, o qual será, com certeza, o seu cúmplice perfeito. 

Ficha artística Ideia e criação: Emiliano Alessi; Interpretação: Emiliano Alessi; Olho externo: Frédéric Jollivet – Studio Creation Lido; Figurinos: Cia. ES circ; Produção: Cia. ES circ 

29 de maio, sábado – 11h00 – Parque Municipal Adão Barata, Loures

29 de maio, sábado – 18h00 – Parque das Lagoas, Fernão Ferro, Seixal

28 de maio, sexta – 21h00 – Fortaleza de Santiago, Sesimbra

30 de maio, domingo – 18h00 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

1 de junho, terça – 10h30 – Parque das Canoas, Gaio Rosário, Moita

1 junho, terça – 16h30 e 19h00 – Parque Urbano, Montemor-o-novo

Compagnie Krak (Bruges, Bélgica) – Kontrol

Teatro visual e Palhaço: p/ todos ; Duração: 40 min.

A companhia Criada em 2008 com o nome de Circus Krak, quando a companhia tinha como objectivo trabalhar para populações muito desfavorecidas, a Compagnie Krak é composta por Els Degryse e Dieter Missiaen. Actualmente trabalha por todo o mundo e para todas as comunidades. Ao longo dos anos, o palhaço provou ser a disciplina favorita da dupla. A Compagnie krak cria espectáculos sem palavras e altamente visuais, intercaladas com humor, amor e toques circenses. Apoiada financeiramente pelo governo flamengo, produz os seus espectáculos com o apoio do Centro de Circo Flamengo (het Vlaams Circuscentrum).

O espectáculo Raphaël gosta que as coisas ocorram de acordo com o seu plano. Quando não é o caso, sempre há soluções engenhosas e o seu sorriso cativante. Um espetáculo poético, grande na sua despretensão. “Uma pequena joia” e “…a ternura que estimula a curiosidade”, são as opiniões do público sobre o espectáculo.

Ficha artística Conceção e interpretação: Dieter “Raphaël” Missiaen; Treinador: lef Gilis (Circo Ripopolo); Com o apoio da Flandres, Teatro no Markt – Dommelhof, Centro Circo Flamengo, Miramiro e Het Entrepot.

30 de maio, domingo – 16h – Fórum Municipal Romeu Correia, Almada

1 de junho, terça – 10h30 e 14h30 – Fórum Municipal Romeu Correia, Almada

Teatro Telaio (Brescia, Itália) – Abbracci

teatro sem palavras – 4 aos 10 anos; duração: 60 min.

A companhia É uma companhia da cooperativa ONLUS há mais de 30 anos que oferece entretenimento cultural de qualidade para crianças, adolescentes e famílias.

O espectáculo Dois pandas estão a montar as suas casas, cada um a sua. Encontram-se. Olham um para o outro. Gostam um do outro. E depois? Como expressam carinho um pelo outro? Como podem sentir o coração um do outro? Estes pandas precisam de aprender a expressar carinho e para isso têm que ir para uma escola especial: a escola de abraços. Uma reflexão sobre o poder comunicativo de um simples gesto como o abraço.

Ficha artística Interpretação: Michele Beltrami, Paola Cannizzaro ou Stefani Caldognetto e Massimo Ploti; Dramaturgia e direção: Angelo Facchetti; Cenografia: Rossella Zucchi; Direção: Mauro Faccioli

1 de junho, terça – 10h30 e 14h30 – Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

ARAWAKE (Burgos, Espanha) – EN BUSCA DEL FUEGO

Sombras Digitais – m/8; duração: 60 min.

A companhia Grupo formado por atores, designers 3D, guionistas, poetas, músicos… engenheiros informáticos e produtores audiovisuais, com diferentes idades e experiências. Nasceram com vontade de investigar e inovar em tecnologias tão espetaculares como a Realidade Aumentada ou a Geolocalização aplicada às Artes Cênicas.

O espectáculo A aventura de dominar o fogo ainda é uma alegoria do ser humano diante dos desafios da natureza, sobre as nossas soluções tecnológicas para fins práticos, divertidos ou sociais; Traçamos uma linha reta do passado, cruzamos com o presente e marcamos-nos como um FUTURO possível.

É isto que queremos para uma espécie que chegou tão longe?

Ficha artística Direção e Dramaturgia: Jorge da Rocha; Desenvolvimento Analógico: Félix Muñiz / MERCHUCO PRODUCCIONES; Ilustração: Goyo Rodríguez; Audiovisual: Jorge da Rocha e Alberto O. González; Documentação Científica: Raúl López, Museo de la Evolución Humana (MEH); Multimédia: Alberto Olegario Gonzáles / SENSEI MULTIMEDIABSO e música ao vivo: NEØNYMUS; Figurinos: Elisa Sanz; Intérpretes: Félix Muñiz e Jorge Rocha; Produzido em colaboração com a Consejería de Educación y Cultura de la JCYL.

2 de junho – 10h30 e 11h30 – Teatro-Estúdio antónio Assunção, Almada

Grupo Dragão7 (S.Paulo, Brasil) – “O Portal Encantado”

Marionetas e actores para crianças dos 3 aos 6 anos ; Duração: 35min.

A Companhia O Grupo Dragão7 é uma companhia profissional de S. Paulo, Brasil, fundada em 1988 e que se dedica aos vários públicos desde a infância aos adultos. Nos seus 33 anos de existência, de produção e circulação ininterruptas, realizou textos de autores brasileiros, portugueses e moçambicanos, porém, na maior parte das suas criações os textos são coletivos, resultando de pesquisas sobre temas da atualidade. Nos seu trabalho de criação e de formação priveligia o intercâmbio com países lusófonos, tendo já representado o Brasil em países de língua portuguesa como Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde e também, Galiza.

O Espetáculo O Portal Encantado apresenta a criação do Universo a partir do Átomo e suas combinações, dando origem à Matéria. A viagem passa pelo surgimento das estrelas, das galáxias, dos planetas, a Terra, as florestas e o homem.

Explorando os efeitos de luzes e cores, a apresentação chega à Floresta Amazônica, trazendo para os pequeninos a exuberância de sua fauna e flora; apresentando-lhes o índio, além de mitos, lendas e seres da Amazônia como o Boto, o Curupira, o canto do Uirapuru, a Arara Azul e a Boiuna, a cobra grande.

Ficha Técnica Ideia Original e Direção: Creuza F Borges; Assistente de Direção e Direção de Bonecos: Ailton Rosa; Elenco: Anabela Nobrega e Creuza F Borges; Direção de Movimento: Júnior Lima; Desenho de Luz: César Pivetti; Técnico de Som: Ailton Rosa; Técnico de Luz: Sérgio Portella; Criação Cenográfica: Lucas Luciano e Sérgio Portella; Produção de Bonecos e Adereços: Lucas Luciano Equipa Tetê Ribeiro, Vivian Oliveira, Silas Caria, Sidnei Caria e Ailton Rosa; Co-criadores: Mônica Negro, Marisa Mainarte, Sérgio Portela e Ailton Rosa; Assessoria de Imprensa: Verbena Comunicação

5 de junho, sábado – 10h30 às 13h00 e 14h30 às 18h00 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

Tombs Creatius (Catalunha, Espanha) – Puck and His Troupe

Cinema de animação, jogos e ilustração ao vivo – Todos

A companhia Uma companhia que propõe jogos e experiências que mantém acordada a criança que temos dentro. Acreditam na arte como uma faísca para acordar a inquietação, abanar as mentes e acelerar corações. São mãos artesanais, almas curiosas, corações inquietantes e mentes imaginativas.

O espectáculo Queres viver uma aventura animada? Vê um filme numa caravana, brinca com as suas personagens e torna-te uma delas! As personagens dos filmes do cinema mais pequeno do mundo para fazer a revolução.

Vive a fantástica experiência do formato de cinema mais pequeno + jogos de rua + ilustrações ao vivo.

Ficha artística Autoria: Carles Porta e Toni Tomàs; Direção creativa dos jogos: Toni Tomàs; Direção artística: Carles Porta; Construção de jogos: Joan Domingo e Diego Caicedo; Produção: Toni Tomàs e Amaia Rodrigo; Ilustração ao vivo: Toni Ortiz; Direção técnica: Sergio Sisques

5 de junho, sábado – 16h00 – Parque Urbano Tavares Rodrigues, Feijó, Almada

6 de junho, domingo – 11h00 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade, Almada

Tanxarina Títeres (Redondela, Espanha) – As Bombas e o Xeneral

Marionetas e actores: m/5 ; Duração: 40 min

A companhia Uma das mais reconhecidas e prestigiadas companhias de teatro de marionetas da Galiza, fundada em 1983. Dedica-se a um público infantil, juvenil e familiar. Combina diversas técnicas de manipulação de marionetas com o trabalho do actor/manipulador. Já se apresentou em inúmeros países da Europa e América. Tem também uma intensa actividade formativa. São os responsáveis pelo Festival Internacional de Títeres de Redondela.

O espectáculo Espectáculo onde recriam com silhuetas animadas, música e actores a historia de um general que quer organizar uma guerra. Para isso conta com um arsenal de bombas atómicas. Mas os átomos sabem das intenciones do militar e decidem fugir para um lugar melhor.O general verá assim frustradas as suas intenções.Um espectáculo de total actualidade para consciencializar os mais novos dosdanos que provocam las guerras e suas consequências. Um final feliz para uma situação de conflito, no qual também são apresentados los efeitos devastadores de uma guerra.

Ficha artística Actores-Manipuladores: Eduardo Rodríguez “Tatán” , Miguel Borines, Andrés Giráldez; Construção de marionetas e cenografía: Pablo “O Pastor” y Tanxarina Títeres; Encenação: Cándido Pazó; Música Original: Paco Barreiro; Efectos de sonido: Manuel Pombal; Figurinos e adereços: Carlos Alonso / Concha González

5 de junho, sábado – 11h00 e 16h00 – Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

Jangada Teatro (Lousada) – Pinóquio

Teatro: m/6 ; Duração: 60 min.

A companhia Fundada em 1999 com o objetivo de elevar o nível cultural da região geográfica onde está inserida, sediou-se no Auditório Municipal de Lousada. Dedica-se à pesquisa formativa e performativa de formas animadas, fundindo o trabalho do ator com as marionetas, as máscaras e a música ao vivo. Em 2005 recebeu a medalha de mérito municipal na área da cultura. Internacionalizou-se por Espanha, França, Lituânia, Brasil, Estados Unidos da América, México, China e Grécia.

O espectáculo “Tudo o que um sonho precisa é alguém que acredite que ele possa ser realizado.” Numa oficina comum de um homem comum, numa vila comum de Itália, o incomum acontece: este que, até ao momento, era apenas uma marioneta, vive! Pinóquio traz-nos esta história familiar de esperança, através dos olhos juvenis do protagonista que dá o nome a este maravilhoso espetáculo. Mas a magia vem sempre com um preço, e cabe a ele o papel de descobridor do mundo e de si próprio. O que será preciso para ser um menino de verdade?

Pinóquio depara-se numa luta constante de compreensão das relações pessoais e do novo e desconhecido mundo a que tenta pertencer. Consequentemente, é rapidamente abordado por leis, regras e limites que o tentam moldar na sociedade. E Pinóquio fará de tudo para agradar e ser aceite… quando na verdade, não se apercebe que o que importa realmente é sua própria aquiescência.

E como não poderia deixar de ser, tudo começa com uma misteriosa estrela azul…

Ficha artística Encenação:  Xico Alves a partir de Carlo Collodi; Dramaturgia: Filipe Gouveia; Letras: Rita Calatré; Interpretação: Filipe Gouveia, Sara Maia, Sónia Ribeiro, Paulo Pires, Vítor Fernandes e Xico Alves; Música Original e Desenho de Som: Paulo Pires; Figurinos: Cláudia Ribeiro; Cenografia: Carlos Pinheiro e Emanuel Santos; Desenho e Construção de Marioneta e Máscaras: Sandra Neves; Desenho e Operação de Luz: Fernando Oliveira; Operação de Som: Fred Meireles; Design Gráfico: Zé Tavares; Fotografias de Cena: Filipa Brito; Vídeo: Chromia studio

5 de junho, sábado – 18h00 – Praça Almada Negreiros (Bairro Gouveia), Alhos Vedros, Moita

6 de junho, domingo – 11h00 – Quinta da Marialva, Corroios, Seixal

6 de junho, domingo – 18h00 – Museu de Almada – Casa da Cidade, Cova da Piedade,  Almada

Wetumtum (Porto) – CRASSH_DuoCircus

Música e malabares: p/todos ; Duração:

A companhia WETUMTUM é uma associação cultural sem fins lucrativos que dinamiza e desenvolve movimentos artísticos para público infantil e Famílias.

A WETUMTUM parte da premissa de que todo o ser humano é capaz de criar, participar e desenvolver-se através do contacto com a música e a performance. Acreditamos também que esta capacidade começa em tenra idade, por isso desenvolvemos o nosso trabalho artístico de forma a que o resultado vá para além da contemplação. Procuramos através de momentos lúdicos, atingir momentos participativos, interactivos e de desenvolvimento pessoal.

O espectáculo Crassh é uma combinação de percussão, movimento e comédia visual. A energia e interação com o público durante os espetáculos, revela uma dimensão que caracteriza as criações artísticas deste projeto. Com Crassh tudo é pretexto para produzir e fazer circular música, partindo de objectos do quotidiano, é também nesse sentido uma proposta de UpCycling, propondo novas utilizações para objetos que nos são familiares, criando e desenvolvendo pesquisa para a construção de instrumentos não-convencionais. A relação entre música, performance e humor conduzem uma narrativa de peripécias cómicas que se desenrolam em simultâneo com um repertório de versões e originais, sendo a voz sempre em crasshonês. Uma forma de assim também ultrapassar barreiras linguísticas, sublinhando o valor do som e da música, como meios de comunicação.

Ficha artística Direção artística: David Valente; Criação e interpretação: David Calhau e David Valente; Figurinos: Patrícia Costa; Cenografia: Patrícia Costa e Susana Lage; Ideia Original: Bruno Estima; Produção Executiva: David Calhau; Comunicação: Rita Silva; Fotografia: Miguel Oliveira; Equipa de Video: Pedro Cruz e David Gomes

Informações

Teatro Extremo

212 723 660 . 965 044 016 . 962 215 929 . companhiateatroextremo@gmail.com

Toda a programação em

https://www.teatroextremo.com/sementes-programacao/

Notícias da Gandaia

Jornal da Associação Gandaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pin It on Pinterest