Tábuas perigosas num local de turismo, com tantas crianças?

Usurpação Ilegítima

Tábuas perigosas num local de turismo, com tantas crianças?
Tábuas perigosas num local de turismo, com tantas crianças?

O CostaPolis vai-me aos nervos, a sério. Coisas como esta fazem-me perder a fé na democracia. Para quem viveu na ditadura, isto é uma calamidade.

Não discuto a estética dos apoios de praia. Uns gostam, outros não. É a vida. Será. Mas serem todos iguaizinhos? Enfim, exageros de artista… muito bem, até posso conceder.

Outra coisa completamente diferente é a escolha dos materiais. Isso é incompetência clara e alguém devia ser responsável por isso.

Os apoios de praia serem em ferro e madeira plantados junto ao mar é um disparate dos antigos. Pior ainda é serem classificados como apoios de praia, cortando logo pela raiz o desenvolvimento da terra em termos de turismo e restauração. Porquê? Porque razão não se planearam restaurantes a sério, com esplanadas que permitam a fruição da beira mar? Não era preciso imaginação, eles estavam lá. Os senhores acharam que o poder que tinham servia para proibir, para criar obstáculos, para flanar o “quero, posso e mando”, ainda por cima com o nosso dinheiro. Ora isto é uma espécie de roubo.

Reparem que Filipe II de Castela era legalmente o herdeiro do trono português. Mas a comunidade não aceitou. Para eles, um castelhano não podia ser rei de Portugal. Era ilegítimo. A direita portuguesa diz agora que um governo dos representantes de mais de 50% dos votos é ilegítima e quebra a tradição. A esquerda, há pouco mais de um ano, dizia que o governo de direita era ilegítimo pois implementava o contrário do que havia prometido… Ou seja, não faltam exemplos de coisas legais mas que são ilegítimas.

Este CostaPolis é uma delas.

Neste caso, chegaram uns senhores com um diploma legal no bolso e arrogantemente transformaram o território, sem qualquer respeito pela identidade da terra, sem qualquer respeito pelo futuro da comunidade, atropelando os anseios da comunidade…

isto é abuso de confiança. É ilegítimo. É usurpação.

Largo Tabua 350
Largo da Tábua continua na mesma. Turismo? Querem lá saber…

Mas isso não é o pior. Ainda estamos com o Largo da Tábua, cheio de solipas assassinas, que não matam, mas partem ossos, num dos exemplos da incompetência de quem decidiu sem dar ouvidos a ninguém, num contínuo de vários anos, arrogantemente defendidos por um papel assinado por alguém que ainda tem menos a ver connosco. É incompetência porque basta um dedo de experiência para saber que aquele material iria ter este comportamento naquele local. É irresponsabilidade porque há vários anos que conhecem o problema e nada fazem. É gestão danosa porque ainda há menos de um ano usaram ainda mais do nosso dinheiro para insistirem naquela solução. Mais do mesmo.

Sim, adivinharam, ainda há pior. Reparem que têm a audácia de permitir que marcas tradicionais, como é o caso do Dragão Vermelho, desapareçam na voragem dos negócios, justificados por um qualquer equilíbrio de contas, que, de resto, não chega para nada. Continua a ser um buraco descomunal. Compreende-se que os proprietários mudem, que os novos proprietários queiram adicionar as suas marcas… Mas não é aceitável que façam desaparecer as marcas tradicionais da Costa da Caparica, como o Dragão Vermelho. Uma marca estabelecida, com imagem própria e que é identitária da nossa comunidade.

Abriram mão do valor de uma marca estabelecida porque se estão nas tintas para tudo isto. Não é nada com eles. Ao fim do dia vão para outro lado.

O CostaPolis, defunto para nós, mas não para outras coisas, pode ser – decerto que o é -legal na medida em que existe um suporte identificável num Diário da República qualquer, com assinaturas de mais do que um Governo. Mas pela sua prática, pela maneira como USURPOU o nosso património, de forma arrogante, destruindo de uma penada símbolos como o Transpraia, o Dragão Vermelho, etc. é profundamente ilegítimo.

pelo que tenho falado com os caparicanos, nós, comunidade da Costa da Caparica, não aceitamos esta situação.

Não haverá entre os muitos leitores do Notícias da Gandaia um jurista que se ofereça para colocar isto em tribunal? Será que temos de ser humilhados e espoliados sem possibilidade de resposta?

Dragão Vermelho: Uma marca orgulhosa, visualmente forte, que marcava a Costa da Caparica
Dragão Vermelho: Uma marca orgulhosa, visualmente forte, que enriquecia a Costa da Caparica
dragao
Primeiro, a marca ainda foi respeitada…
Dragao Vermelho 350
Agora é isto, mais uma no meio de vinte e tal…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Pin It on Pinterest